IGREJA CATÓLICA EM NÚMEROS

21 Mai 2013

 No dia 14-5-2013 foi apresentado o Anuário Pontifício 2013, com dados da Igreja Católica nos últimos anos. Apesar das dificuldades inerentes ao mundo contemporâneo, de modo especial, em função do crescente ateísmo e indiferença no mundo ocidental e das dificuldades internas, a Igreja Católica apresenta um crescimento positivo e sinais de esperança em relação ao seu futuro. Os dados apresentados são do ano 2011.

A Igreja Católica está presente em 2.979 circunscrições eclesiásticas (dioceses): católicos passaram de 1,196 bilhão em 2010 para 1,214 bilhão em 2011, aumento de 1,5%. O crescimento é maior que o da população da Terra (1,23%), o que faz com que a presença dos católicos no mundo permaneça substancialmente inalterada (17,5%).

Análise territorial: aumento de 4,3% na quantidade de católicos na África, continente que aumentou a sua população em 2,3%. Na Ásia também houve um aumento de católicos superior ao da população (2,0% contra 1,2%). Na América e na Europa, verificou-se crescimento igual de católicos e da população (0,3%). 2011: o número de católicos batizados por continentes: 16% na África, 48,8% nas Américas, 10,9% na Ásia, 23,5% na Europa e 0,8% na Oceania.

Bispos: aumentou de 5.104 em 2010 para 5.132 em 2011, aumento relativo de 0,55%. Aumento na Oceania (4,6%) e na África (1%), enquanto a Ásia e a Europa ficaram abaixo da média mundial. A América não registrou variações. América e a Europa: 70% do total.

Sacerdotes: diocesanos e religiosos, aumentou, passando de 405.067 em 31-12-2001 para 413.418 em 31-12-2011 (2,1%). Esta evolução não foi uniforme. África e Ásia: com 39,5% e 32% de crescimento, respectivamente (e com aumento de mais de 3.000 sacerdotes, somando os 2 continentes, apenas em 2011). América: fica com 122 mil sacerdotes. Europa: em contraste com a média global, sofreu na última década uma redução de mais de 9%.

Diáconos permanentes crescem, passando de 29.000 em 2001 para cerca de 41.000 em 2011.  Europa e a América maior aumento. Os diáconos da Europa, que eram 9.000 em 2001, chegaram a 14 mil em 2011. América: passaram de 19.100 em 2001 a 26.000 em 2011 (97,4% do total global). 2,6% divididos entre África, Ásia e Oceania.

Religiosos professos não sacerdotes (55 mil em 2011). Na África e na Ásia, variações são de 18,5% e de 44,9%, respectivamente. Em 2011, esses 2 continentes, (36% do total: eram 28% em 2001). Europa (-18%), América (-3,6%) e Oceania (-21,9%).

Religiosas professas: forte diminuição, com contração de 10% entre 2001 e 2011: caiu de 792 mil em 2001 para 713 mil. Queda 3 continentes (Europa, América e Oceania), com variações significativas (-22% na Europa, -21% na Oceania e -17% na América). África e na Ásia: aumento superior a 28% no primeiro continente e a 18% no segundo. Na África e na Ásia aumentou de 24,4% para cerca de 33% no total mundial, em contraponto à Europa e à América, onde caíram de 74% para 66% do total.

Seminaristas: diocesanos e religiosos, passaram de 112.244 em 2001 para 120.616 em 2011 (aumento de 7,5%).  Crescimento na África (30,9%) e Ásia (29,4%). Europa e América: declínio de 21,7% e de 1,9%, respectivamente. Contribuição europeia ao crescimento do número de sacerdotes, com uma quota que passa de 23,1% para 16,8%, em contraste com a expansão dos continentes africano e asiático. (cf.: www.zenit.org, dia 14-5-2013).

            O III Milênio tem apresentado inúmeros desafios e riscos para os sistemas religiosos, mas mesmo assim, a Igreja Católica permanece fiel aos objetivos da missão proposta por Jesus Cristo, não obstante as fragilidades humanas institucionais. Que o bom Deus ilumine seus passos e decisões para que ela siga firme e consistente no anúncio do Evangelho de Cristo, num mundo tão carente de amor e paz.

Pe. Ronaldo Mazula cmf