Experiência

16 Mar 2017

Por Agnaldo Marques 

Que personalidade tão forte e atrativa apresenta a experiência! Parece tão distante o dia em que nós seremos maduros e mais prudentes. É a aprendizagem da vida…

Todos nós apreciamos o valor da experiência. Temos a necessidade de ir ao encontro dos mais velhos em busca de orientação e conselho, pois seu conhecimento de mundo, da vida e da gente são uma fonte valorosa para ajudar nas decisões.

A experiência é o conhecimento adquirido no transcurso da nossa vida. Nos ajuda a tomar decisões melhores ponderando possibilidades e riscos. Com ela aprendemos com intimidade do nosso ser, com a família, com os amigos, através a leitura, com o trabalho. Apesar de tudo isto, muitas vezes seguimos tomando decisões rápidas, cometendo os mesmos erros e fechando nossos ouvidos aos conselhos que nos dão as pessoas com mais visão que nós.

Embora a idade é a que proporciona a experiência, cada momento da nossa vida oferece um novo conhecimento e um panorama mais amplo sobre cada circunstância. O nosso pensamento e as atitudes devem estar sempre modelando o passo a passo, dando como resultado a maturidade.

A experiência é conhecer as pessoas, suas reações e seus costumes sociais. É também a paciência para afrontar as contrariedades. Ela dá a capacidade para fazer analisar, com mais profundidade, os acontecimentos relacionados a vivências passadas e adequando-as ao presente para emitirmos juízos mais precisos, além de uma serenidade acentuada para tomar decisões.

Diferentemente dos outros valores, a experiência não é fácil de construir de forma ativa. Poderia se dizer que a experiência, em sua forma básica, modela com os golpes da vida. Embora, podemos ter uma atitude alerta e vigilante que nos permita tirar o máximo proveito de tudo aquilo que acontece em nossa vida.

A experiência é um valor fundamental em muitos âmbitos da vida: com nossa esposa ou esposo, no trabalho, ao tomar decisões econômicas…

Nossa vida deve ser uma rica variedade de sensações, acontecimentos e encontros. A experiência só se molda vivendo e aprendendo. É aí onde temos uma diferença fundamental com os outros seres vivos. Nós, seres humanos, não somente aprendemos dos impulsos diretos de nossos sentidos (calor, frio, dor), mas também que somos capazes de analisar a informação e gerar novas alternativas.

O viver a vida com profundidade e com um esforço para aprender com ela, gera uma percepção mais exata da realidade. Nessa medida podemos lhe dar sua justa medida a tudo. A experiência nos ajuda a perceber a realidade como ela é, não como os outros quer que vejamos. E esta percepção mais exata da realidade nos leva a tomar decisões melhores, a sermos mais juntos, a medir mais nossos impulsos. A experiência e a prudência andam sempre de mãos dadas.

Alguns meios que podemos pôr em prática para aprender mais da vida e enriquecer nossa experiência:

– Analisar nossas decisões passadas e futuras, não somente as mais importantes e transcendentes, com a escolha dos estudos profissionais, o matrimônio, iniciar uma empresa por conta própria, mas também aquelas decisões aparentemente sem importância que trouxeram grandes resultados em nossa vida.

– Entender que devemos ser humildes e aprender com os outros. Às vezes nos empenhamos em não escutar um conselho porque as alternativas que nos propõe não estão de acordo com o nosso gosto, ou não está de acordo com a nossa disposição momentânea. Não devemos nos prender a uma ideia, quando várias pessoas coincidem em nos fazer ver o nosso erro (sobretudo, se por idade, parentesco ou alta qualidade moral, seu ponto de vista é particularmente valioso). Devemos ter abertura à opinião alheia e ser honestos conosco mesmo para corrigir, cedo ou tarde nos daremos conta de quando razão eles tinham.

– Ao tomar uma decisão, começar um trabalho, iniciar um negócio ou adquirir um compromisso, devemos assumi-lo, com todas suas instâncias, sem economizar esforços, nem o abandonar nas primeiras contrariedades, só assim estaremos em condição de conhecer realmente nossas capacidades e possibilidades. As coisas que mais trabalhoso é, são as que mais valorizamos. Quem mais esforço dedica para realizar trabalhos através dos anos, encontram melhores possibilidades de alcançar objetivos mais altos, mais ambiciosos… A experiência nos ajuda a planejarmos metas reis e acessíveis para nós, com grandes possibilidades de êxito.

– Afrontar com valor as consequências de nossos atos, sem buscar pretextos ou desculpas. Ao nos escondermos para esperar que as coisas se solucionem por si mesmas, perdemos a oportunidade de conhecer a gravidade e magnitude do que cometemos o certo é que aprendamos mais de um erro e de um fracasso, do que a partir de um monte de êxitos, os quais não devem servir de desculpa a cada vez que erramos.

– Aprender a compreender e tratar aos demais observando como os fazem aquelas pessoas que sempre sabem o que fazer e dizer, nas mais diversas circunstâncias. Escutar com paciência. Controlar as doenças e mal gosto. Nunca pedir ou dar ordem bruscamente. Ter cortesia no trato com as pessoas. Não levantar o tom de voz desnecessariamente. Perguntar o que não sabe… Estas são algumas das características que enobrecem a personalidade como fruto da contínua aproximação de nossos semelhantes, conseguindo sempre os resultados que queremos.

Que personalidade tão forte e atrativa nos apresenta a experiência! Parece tão distante que poderemos nos tornar, pelo menos, em algo semelhante. Embora, não devemos esperar que o tempo passe e a experiência chegue aos outros como uma lógica consequência, faz falta tomar consciência, pensar e refletir sobre tudo o que ocorre ao nosso redor, de nós ou dos outros, para termos um critério único e coerente.

#dioceseonline