Maio: mães de Maria, mãe nossa e de Nosso Senhor

06 Mai 2019

Em maio é comemorado o mês de Maria Santíssima. Mês este dedicado às mães. A Santa mãe de Deus também é nossa mãe espiritual, mãe daqueles que guardam e cumprem os mandamentos de Jesus.

Iniciamos dizendo que depois de Deus, ninguém nos ama mais que Nossa Senhora, pois como santo Afonso escreve: “E nós temos de Deus este mandamento que o que ama a Deus ame também o seu irmão” (1Jo 4,21). Ora, como nunca houve, nem haverá quem ame a Deus mais do que Maria, tão pouco nunca houve, nem haverá, quem mais do que ela ame ao próximo. ”

Assim passemos a meditar algumas partes da vida de Nossa Senhora.

Partiremos com o anjo dizendo CHEIA DE GRAÇA à Virgem Maria. Este “cheia de graça” indica que Maria como nenhuma criatura possui todas as graças que Deus poderia lhe dar e a preparou para ser Sua Santa Mãe. Nunca um anjo saudou alguém como saudou Maria. Ela está como mostra o latim em “gratia plena”, ou seja, plena, repleta, completa e totalmente cheia de graças onde não cabe o pecado, apenas as graças de Deus a ponto de ser digna de ser mãe do Salvador. Escreve poeticamente São Luís Maria Grignion de Montfort: “Deus reuniu todas as águas e chamou-as mar; reuniu todas as graças e chamou-as Maria”,

O SENHOR É CONVOSCO: A Santíssima Trindade está tão intimamente ligada a Maria Santíssima que o Senhor nunca se separou dela. Nela habita o Senhor Deus do universo. Em todos os momentos de sua vida Nossa Senhora conservou Deus consigo em seu Coração Imaculado. Ela vive para Deus e Deus habitou nela como sua mãe. Filha de Deus Pai, Mãe de Deus Filho, esposa do Espírito Santo. Nela não habita o pecado. O Senhor é contigo para sempre. Está tão unida a Deus que é a única que pode dizer para Cristo: carne de minha carne, sangue de meu sangue. Se a terra onde Jesus pisou é terra santa, quanto mais santo é o ventre que trouxe Jesus ao mundo.

São Luís Montfort diz que Maria é obra prima por excelência do Altíssimo e também que ela é o paraíso de Jesus na Terra. Se o Senhor Deus nunca se separa de Maria, como é fácil chegar a Jesus por Maria!

E santo Afonso de Ligório diz em seu livro “Glórias de Maria” que “um verdadeiro devoto de Maria não se perde. É impossível que se perca um devoto de Maria que fielmente a serve e a ela se encomenda. ”

Quando soube que sua parente santa Isabel estava grávida, sem demora e com pressa partiu a Virgem para as montanhas. A distância que Nossa Senhora percorreu foi entre 100 a 150 quilômetros até encontrar Santa Isabel. Aproximadamente 32 horas de caminhada em região montanhosa.

Mas o que levou a Virgem Maria a andar tanto? A caridade. Ela vai cuidar de sua prima, que já tinha a idade avançada.

E o que aprendemos com tudo isso? Neste contexto podemos perceber como Ela está sempre disposta a servir com alegria e prontidão a todos, especialmente os que mais precisam. Ela percorreu grandes distâncias com único intuito de ajudar sua prima. Da mesma forma, Nossa Senhora sempre está disposta a amparar nós que somos filhos.

Que possamos imitar o exemplo de disponibilidade, caridade, atenção e amor da bem-aventurada sempre Virgem Maria!

Foi por Maria que a graça chegou a João Batista e o Espírito Santo a Isabel. Queremos obter alguma graça? Recorramos então a Maria. O próprio Espirito Santo pela boca de Isabel exaltou de bendita a Nossa Senhora e bendito a Jesus e ela reconheceu a honra de estar na presença de Maria Santíssima. Como é bom estar com a Santíssima Virgem em nossas orações, em apreciar suas imagens em nossos corações! Que por nossa boca o Espírito Santo repita “bendita sois vós entre as mulheres” e possamos por nossas palavras levar somente aquilo que Nossa Senhora diria. Palavras de amor que levam o Espírito Santo!

Diz santo Afonso (congregado Mariano e doutor da igreja): “quando Isabel a chamou de bendita entre todas as mulheres e Mãe do meu Senhor, imediatamente Maria atribuiu toda a glória a Deus, respondendo no seu humilde cântico “minha alma engrandece ao Senhor”. O humilde recusa os louvores referindo-os todos a Deus. ” Assim quando Isabel disse: Bendita és tu entre as mulheres Maria imediatamente canta o magnificat ao Senhor porque todos os louvores a Maria ela devolve a Deus de forma muito mais perfeita. Quando rezamos uma Ave Maria, nossa Senhora canta louvores a Deus por nós. Louvemos a Maria e ela louvará a Deus por nós!

A própria bíblia diz-nos que todas as gerações proclamarão Nossa Senhora bem-aventurada! Somos nós também esta geração os cumpridores desta profecia que proclamamos Maria bem-aventurada!

“Por isso, no dizer de S. Bernardo, todas as gerações, passadas, presentes e futuras, devem considerar Maria como medianeira e advogada da salvação de todos os séculos. Garante-nos Jesus Cristo que ninguém pode vir a ele, a não ser que o Pai o traga. “Ninguém pode vir a mim, se o Pai o não atrair” (Jo 6,44). O mesmo também, no sentir de Ricardo de S. Lourenço, diz Jesus de sua Mãe. Ninguém pode vir a mim, se minha Mãe o não atrair com suas preces. Jesus foi o fruto de Maria, como disse S. Isabel (Lc 1,42). Quem quer o FRUTO deve também querer a ÁRVORE. QUEM, POIS, QUER A JESUS, DEVE PROCURAR MARIA; E QUEM ACHA MARIA, CERTAMENTE ACHA TAMBÉM JESUS. Vendo Isabel a Santíssima Virgem que a fora visitar em sua casa, e não sabendo como lhe agradecer, exclamou cheia de humildade: E donde a mim esta dita, que venha visitar-me a Mãe do meu Senhor? (Lc 1,43). Mas como assim pergunta? Não sabia já Isabel que não só Maria, como também Jesus tinha vindo a sua casa? Por que, pois, se declara indigna de receber a Mãe, em vez de confessar-se indigna de ver o Filho vir a seu encontro? Ah! É porque bem entendia a Santa que Maria vem sempre com Jesus e que, portanto, lhe bastava agradecer à Mãe sem nomear o Filho. ” (Santo Afonso de Ligório, Glórias de Maria)

Jesus sendo Deus escolheu e preferiu nascer na sagrada família num presépio, mostrando que o importante não é o luxo e a riqueza, mas o amor. Ninguém amou mais a Jesus nem foi mais humilde que a Santíssima Virgem.

Assim como Maria sejamos humildes e desapegados dos bens materiais para ter cada vez mais amor a Jesus!

Os evangelistas “contentam-se em dizer que “dela nasceu Jesus”. Baste-nos isso. Com tais palavras dizem tudo, resumem-lhe todas as excelências... Maria é mãe de Deus e com isso já excede toda grandeza e dignidade que se pode exprimir e imaginar depois de Deus (Santo Afonso de Ligório)

Quando os pastores vão ao encontro do Salvador encontram sua mãe e o menino. Assim nós ao procurarmos Maria encontramos Jesus. Diz santo Afonso: “QUEM ACHA MARIA ACHA TODO O BEM”. Maria meditava as palavras ditas pelos anjos aos pastores e guardava em seu coração. Na imitação a Maria possamos guardar e meditar a palavra de Deus todos os dias. E são Luiz Montfort nos ensina: ”quanto mais contemplardes Maria em vossas orações, meditações ações e sofrimentos, tanto mais perfeitamente encontrareis Jesus Cristo”. (TVDSV165).

Simeão teve promessa do Senhor, de não morrer antes de ver nascido o Messias. Mas esta graça ele não a recebeu senão por intervenção de Maria, porquanto não achou o salvador, senão nos braços de Maria. De onde vemos que quem achar Jesus não o achara senão por meio de Maria. Vamos, pois, à Mãe de Deus , se queremos achar Jesus. Mas vamos com grande confiança. (Santo Afonso De Ligório, Glórias De Maria, P321, 19ªED).

 Jesus Cristo deu mais glória a Deus, submetendo-se a Maria durante trinta anos, do que se tivesse convertido toda a terra pela realização dos mais estupendos milagres. Oh! Quão altamente glorificamos a Deus, quando, para lhe agradar, nos submetemos a Maria, a exemplo de Jesus Cristo, nosso único modelo. (São Luís Maria Grignion de Montfort, Congregado Mariano)

Se examinarmos atentamente o resto da vida de Jesus, veremos que foi por Maria que ele quis começar seus milagres. Pela palavra de Maria Ele santificou são João no seio de Santa Isabel; assim que as palavras brotaram dos lábios de Maria, João ficou santificado, e foi este seu primeiro e maior milagre de graça. Foi ao humilde pedido de Maria, que ele, nas núpcias de Caná, mudou água em vinho, sendo este seu primeiro milagre sobre a natureza. Ele começou e continuou seus milagres por Maria, e por Maria os continuará até ao fim dos séculos. (São Luis Maria Grignon De Montfort, TVDSV 19)

"A compaixão de Maria para com nossas misérias a leva a nos socorrer e consolar, mesmo quando a não invocamos. É o que nos mostrou durante sua vida, nas bodas de Caná (Jo 2,3). A seus compassivos olhos não escapou o embaraço dos esposos que, aflitos e vexados, perceberam a falta do vinho à mesa dos convidados. Sem ser rogada, movida somente por seu piedoso coração incapaz de assistir indiferente à aflição de outros, pediu Maria a seu Filho que consolasse a família. Fê-lo, expondo-lhe com singeleza a necessidade em que ela estava, dizendo: Eles não têm vinho. Então o Senhor, para valer àquela família e mais ainda para contentar o compassivo coração de sua Mãe que o desejava, operou o célebre milagre de mudar em vinho a água das talhas. Isto comentando, conclui Novarino: Se Maria é tão pronta em ajudar, mesmo sem ser rogada, quanto mais o será para consolar quem a invoca e a chama em seu auxílio?" (Santo Afonso De Ligório, Congregado Mariano)

Maria Santíssima é nosso exemplo de santidade. Ela como nas bodas de Caná se importa com cada um de nós. É nossa Mae sempre atenta a nossas necessidades. Nossa Senhora é tão intima da Santíssima Trindade que pode acelerar o tempo de Deus. Ainda não era hora de Jesus se manifestar, mas por amor e caridade intercedeu pelos noivos e conseguiu o primeiro milagre de Jesus, mesmo não sendo o tempo determinado ela adiantou os milagres de Cristo. Deus a sua mãe nada nega, pois tudo que ela pede é também bondade de Deus. Recorramos sempre a nossa terna e poderosa mãe principalmente nas causas mais urgentes.

Fazei tudo o que ele vos disser! Eia, ânimo, sereis consolados! E com efeito, Jesus Cristo para dar gosto a Maria mudou a água em ótimo vinho. Mas como assim? Se o tempo prefixado para os milagres era o da pregação, como é

que, mudando a água em vinho, antecipou Jesus os decretos divinos? A isso responderemos que nada houve de encontro aos decretos divinos. De fato, geralmente falando, não era ainda chegada a hora dos milagres. Entretanto já desde toda a eternidade havia Deus estabelecido que jamais rejeitaria um pedido de sua Mãe."

(Santo Afonso de Ligório)

“E depois, voltando-se para o discípulo, lhe disse: Eis a tua Mãe! (Jo 19,27). Com tais palavras, disse S. Bernardino de Sena, Maria foi feita Mãe, não só de S. João, mas também de todos os homens, por causa do amor que teve para com eles. No parecer de Silveira, é este o motivo por que S. João, ao consignar a cena no seu Evangelho, escreve: Em seguida disse ao discípulo: Eis a tua Mãe! Note-se que Jesus Cristo não disse isto a João, mas ao discípulo. Fê-lo para significar que o Salvador nomeou Maria por Mãe universal de todos aqueles que, sendo cristãos, têm o nome de seus discípulos. ” (Glórias de Maria, Santo Afonso Maria de Ligório, Congregado Mariano, Doutor da Igreja)

O próprio Salvador revelou a Santa Brígida: Minha Mãe tornou-se Mãe de todos no céu e na terra, por sua compaixão e seu amor. Com efeito, outro sentido não tinham as palavras com que Jesus se despediu de sua Mãe. Como derradeira lembrança deu-nos a ela por filhos, na pessoa de S. João: Mulher, eis o teu filho (Jo 19,26). Começou desde então a Senhora a exercer para conosco esse ofício de mãe estremecida.

(Santo Afonso Maria de Ligório)

Continua santo Afonso sobre a vida de Nossa Senhora: “Ó Virgem sacrossanta, os outros mártires hão de ter o corpo ferido pela espada, porém vós tereis a alma transpassada e dilacerada pela Paixão de vosso Filho. Quanto a alma é mais nobre que o corpo, tanto a dor de Maria foi superior à de todos os mártires. Não são as dores da alma comparáveis aos tormentos do corpo, disse o Senhor a S. Catarina de Sena. Por isso, escreve Arnoldo de Chartres: Por ocasião do grande sacrifício do Cordeiro Imaculado, que morria por nós na cruz, poderíamos ter visto dois altares: um no Calvário, no Corpo de Jesus, outro no Coração de Maria. Enquanto que o Filho sacrificava Seu Corpo pela morte, Maria sacrificava sua alma pela compaixão. ”

No Cenáculo em Jerusalém, a Virgem Maria, os apóstolos e discípulos, reunidos em oração, obedecem a ordem de Jesus, que disse aos discípulos para esperar o cumprimento da promessa da vinda do Espírito Santo, antes de assumir sua missão na Igreja. Entretanto, para que aconteça o Pentecostes em nossas vidas não basta apenas esperar. Precisamos nos preparar para receber o Espírito de Deus, como fizeram Nossa Senhora, os apóstolos e discípulos, principalmente através da oração. Esta oração, deve ser concorde e perseverante, como nos inícios da Igreja. Pelo mesmo motivo, quis também tomar o último lugar, quando estava no cenáculo com os apóstolos. Todos perseveravam de comum acordo em oração com as mulheres, e Maria, Mãe de Jesus” (At 1,14). Bem conhecia S. Lucas qual o mérito da Divina Mãe, devendo por isso nomeá-la antes de todos. Porém, de fato, Maria tinha tomado o último lugar, depois dos apóstolos e das santas mulheres. S. Lucas – na opinião de um autor – os nomeou a todos e por último a Virgem, segundo o lugar que ocupava. Isso motiva a observação de S. Bernardo: Com razão tornou-se a primeira a que era a última porque, sendo a primeira, se fizera a última. (Santo Afonso Maria de Ligório)

O paraíso inteiro reza com Maria, quando ela se põe a pedir por uma alma. Pacciuchelli diz até que a Virgem, como Rainha, ordena aos anjos e santos que a acompanhem, e junto com ela dirijam suas preces ao Altíssimo. (Santo Afonso Maria de Ligório, Glórias de Maria)

Queremos contemplar Maria como mestra e modelo da nossa oração. Ela nos ensina novos caminhos para nos aproximar do Senhor. Maria não começou a rezar depois que foi visitada pelo anjo Gabriel e depois da Encarnação. A Igreja apresenta-nos Maria orante antes da aurora da plenitude dos tempos, antes que ela fosse escolhida como mãe de Jesus. Maria está sempre em oração.

Salve Maria Santíssima!

Se qualquer conteúdo apresentado contraria o Sagrado Magistério da Igreja, desde já o rejeitamos, porque a Fé católica é a luz de nossos olhos.

-----------------------------

Se inscreva no canal oficial da diocese: youtube.com/diocesedeapucarana Pastoral da Comunicação/Sistema D.A de Comunicação - Levando a Diocese até você! #pascom #dioceseonline