Uma vida dedicada a evangelizar

05 08 2020
0

Votos de pobreza, de castidade e obediência. Deixar família e o trabalho. Uma vida dedicada a evangelizar. Tudo isso faz parte da rotina de duas apucaranenses que há mais de 20 anos decidiram viver em missão.

Lea Cristina Biazeto da Silva tem 43 anos, morou em Apucarana e quando jovem, aos 21 anos conheceu a comunidade católica Mar a Dentro e se tornou uma leiga consagrada. “Eu nasci em uma família católica, que desde sempre me ensinaram a oração, a caridade, os valores cristãos, e isto foi muito importante como base, para eu aprender a conhecer a voz do Senhor. Quando tinha 11 ou 12 anos, estudava no colégio São José, e durante uma aula de religião, foi apresentado um filme da Madre Tereza de Calcutá. Quando o filme foi passando, algo aconteceu de diferente em mim, vendo o exemplo da Madre Tereza, pensei, è isto que quero para minha vida. Senti realmente o desejo de seguir os passos de Madre Tereza. Fui crescendo e este desejo nunca me abandonou totalmente. Quando adolescente,  participei do grupo Harrarai, onde conheci a Comunidade Mar a dentro e aquele desejo de entregar-me totalmente a Deus voltou forte,” detalha.

Na época Lea namorava, fazia faculdade, tinha um emprego, família, mas a vontade de servir a Deus foi maior. “As vezes as pessoas me perguntam: você não amava sua família? você não queria casar? não gostava da sua profissão. Eu amava minha família, minha profissão e queria casar, mas deixei tudo por um amor maior. Já são 20 anos  que busco de todo coração servir a Deus através da consagração .Neste tempo de vida consagrada fiz votos perpétuos com 27 anos, onde decidi que para sempre queria viver totalmente entregue a vontade de Deus,” comenta.

Em missão Lea morou em Minas Gerais, Belém do Pará, conheceu a realidade amazônica dos ribeirinhos, pois trabalhava na evangelização dos moradores e há quatro anos vive no Chile. “ Outra cultura, outro país, outra língua. Um novo desafio. Aqui a igreja está muito ferida, há uma necessidade grande de proclamar o amor de Deus. Aqui ajudo também na pastoral universitária, nos colégios católicos, na paróquia. Iniciamos O projeto comunhão, aqui trabalhamos com os migrantes que chegam até o Chile, algumas vezes em situações muito difíceis.

Lea garante que não se arrepende da decisão. “O que sustenta minha vocação, minha alegria e amor durante estes 20 anos? Sem dúvida nenhuma é a presença constante do Espírito de Deus em mim, e a misericórdia do Pai manifestada através de Jesus. Qualquer vocação, seja ela de vida consagrada, sacerdotal ou matrimonial se sustenta graças a graça de Deus, da oração, da vida em comunidade, da vivência dos sacramentos , por isto não tenho dúvida que meu sustento diário é a palavra de Deus, a Eucaristia, a vida comunitária.O importante é aprender a conhecer a voz de Deus, e responder ao seu chamado,” ressalta.

Que também não se arrepende da decisão é apucaranense Morgana Colombo de 44 anos. Ela deixou a vida que tinha para evangelizar pelo Brasil. Já são 24 anos em missão. Através de um grupo de jovens da Catedral Nossa Senhora de Lourdes ela também conheceu a comunidade Mar a Dentro.

Morgana já morou em Minas Gerais, no interior de São Paulo, Belém e há 10 anos vive em missão no Rio de Janeiro. “Me sinto muito feliz e grata a Deus . Como toda vocação existe seus desafios pessoais. Existem muitos jovens que Deus chama para consagrar sua vida, que o Senhor possa tocar muitos corações. Em missão rezamos pelas pessoas, realizamos  acompanhamento espiritual, trabalhamos com pessoas carentes, projetos sociais, oferecendo a evangelização também através dessa promoção humana,” finaliza. 

O bispo Dom Carlos José de Oliveira disse que na vida da igreja existem muitos leigos e leigas consagradas que procuram evangelizar com o testemunho de vida e com a palavra. “ Os leigos e leigas consagrados de maneira especial a Deus a Ele entregam a vida no celibato, obediência e missão. Deixam sua pátria e longe procuram evangelizar com o testemunho de vida e com a palavra. Nossa diocese de Apucarana muito se alegra com estas irmãs da Comunidade Mar a Dentro que deixando nossas terras anunciam Jesus em outros lugares,” ressalta. 

Por, Sílvia Vilarinho


Comentários