Celebração de entrega da Cruz dos grupos de Vivencias.

05 09 2015
0

Vocês receberão uma cruz, para que, ao leva-la nas reuniões de grupos de vivencias, ao deixa-la na casa das famílias membras do grupo possa demonstrar o compromisso assumido por vocês, quando Jesus disse: “quem quiser ser meu discípulo toma sua cruz e vem comigo”.

Cada paroquia ver qual a melhor data de realiza-la.
Sugestão que seja o terceiro domingo do cada mês. Pois os roteiros dos grupos de vivencia do ano de 2016 sempre vão motivar para esse final de semana a preparação. Mas a paroquia é livre para organiza-la.

Apresento algumas sugestões para a equipe paroquial realiza-la. Podendo iniciar já nesse mês de setembro, pois será a ultima visita das missões populares e também nesse mês temos a solenidade da Santa Cruz dia 14 de setembro.

A proposta foi sugerida a partir das missões populares que ao final das visitas as famílias visitadas pudessem formar um grupo de vivencia. A dinâmica foi apresentada da assembleia diocesana em 2014, muitas paroquias já inseriram essa cruz em seus grupos.

Na reunião diocesana de coordenadores paroquias em 2014, foi pedido que os grupos de vivencias fossem mais valorizados nas missas e celebrações e que também pudéssemos ter um símbolo dos grupos de vivencias. Achamos por bem assumir a proposta das missões populares com a cruz para o grupo de vivência para todos os demais grupos já existentes. No encontro diocesano de 2015 na Paroquia Coração Eucarístico de Jesus junto com nosso bispo diocesano assumimos o compromisso que todas as paroquias teriam a Cruz como símbolo de nossos grupos de vivencias.

Assim propomos as paroquias, padres e equipes de liturgia que favoreçam um momento numa missa por mês para que se apresentem as famílias, os coordenadores de grupos de vivencias e que se valorizem os mesmo incentivando seus momentos de vivencias juntos para partilhar da Palavra de Deus, lembrando sempre da carta (em anexo) que Dom Celso escreveu aos coordenadores de grupos de vivencias em 2013.
Propomos então algumas sugestões que possa ser utilizada, a paroquia poderá adapta-la de acordo com a realidade.

1ª. proposta 
Numa missa da comunidade
1. Sejam convidados os coordenadores e familiares dos grupos de vivencias para a mesma.
2. Na procissão de entrada trazer as cruzes, deixar um locar próprio na frente para coloca-las.
3. No comentário inicial seja feita uma pequena motivação para receber as cruzes que serão abençoadas e entregue aos grupos de vivencias. “Ser cristão significa ser seguidor de Jesus Cristo. Ser seguidor de Jesus Cristo significa aceitar a cruz de cada dia: Quem quiser me seguir, tome a sua cruz de cada dia e me siga – disse Jesus.”

4. Na homilia ou em outro momento o padre destaque a importância do grupo de vivencia, a partir da carta de Dom Celso aos grupos de vivencias, enviada as paroquias em 2013.
5. Também diga que essa cruz vai estar presente nos grupos de vivencias juntamente com a Bíblia palavra de Deus, que nos anima a seguir Jesus carregando nossas cruzes diárias. Ela vai ficar uma semana na casa de cada família que participa do grupo e uma vez por mês será trazida numa missa na igreja para uma celebração com as famílias e toda a comunidade paroquial.
6. As preces podem ser feitas motivando e agradecendo a Deus pelos grupos e estudos bíblicos em famílias. Ver modelo da 2ª. Proposta.
7. No final da missa o padre faça a benção e o envio dos coordenadores e da cruz para as famílias. 
8. Formar uma equipe paroquia dos grupos para ajudar na liturgia e dinamizar a mesma.

2ª. Proposta uma celebração própria para um dia especifico.

Animador: Queridos irmãos e irmãs, o seguimento de Cristo é uma caminhada, cujo primeiro passo é querer conhecer o Mestre. Nesta celebração queremos expressar nossa adesão a Jesus e o desejo de difundir seu Evangelho. Hoje nos reunimos para celebrar nosso Deus, que caminha conosco e nos convida a segui-lo.
Canto inicial a escolha:
(durante o canto entrada de uma cruz enfeitada e das cruzes que serão entregues aos coordenadores de grupos)

Padre, Diác. ou Ministro: Que grande graça! Que alegria poder conhecer o verdadeiro Deus que enviou o seu Filho, Jesus Cristo como nosso salvador e Senhor! Se vocês querem mesmo ser discípulos Dele e membros de sua Igreja, é preciso que sejam instruídos em toda a verdade que Jesus revelou; que aprendam a viver como Ele viveu e ensinou, conforme o seu evangelho, amando a Deus e ao próximo. Tracemos sobre nós o sinal da nossa fé cantando!
ATO PENITENCIAL: Vamos pedir a Deus o perdão pelas vezes que sentimos desanimo ou nos arrependemos do compromisso assumido em nosso batismo, nos sentindo fraco diante do projeto! Muitas vezes fugimos da cruz. Cantemos a misericórdia do Senhor!
HINO DE LOUVOR: Temos muitos motivos para louvar a Deus nosso Pai. Louvemos pelos coordenadores de nossos grupos de vivencias, pelas famílias membros dos grupos e pela nossa comunidade. Cantemos a gloria de Deus.
RITO DA PALAVRA: Segue o rito da palavra conforme a liturgia do dia! Ou de leituras escolhidas como segue sugestão. 
Sugestão que o evangelho seja do domingo da 24ª. Semana do tempo comum. 2015.
(ver liturgia festa da Santa Cruz dia 14 de setembro e a liturgia da 24ª. semana do tempo comum dia 13 de setembro de 2015. Ou ainda de sexta feira santa)

CANTO DE ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO
HOMILIA (após homilia segue o rito de entrega da cruz ou no final antes da benção)

Momento de entregue da Cruz aos Coordenadores ou família.

Jesus tomou sua cruz e seguiu fiel até a morte. Não fez isso porque era um coitado, mas sim por amor a toda a humanidade. O segredo em enfrentar nossas cruzes diárias está no amor. “Tudo que é feito com amor, torna-se mais fácil”. Na cruz, Jesus mostrou que o amor também passa pelo sofrimento. Ser cristão não é fácil. Amar implica renuncias, porém é a única coisa capaz de dar sentido a vida. Jesus carregou a cruz porque amava. Carregar a Cruz significa abraçar os problemas da vida e enfrentá-los por amor e com amor. Nós cristãos não devemos ter vergonha da Cruz. A cruz é o trono de Cristo, onde reina o amor. Quem carrega a cruz deve se orgulhar de carregar o maior símbolo do amor de Cristo, que deu a vida pelos seus e por todos nós.

Entrega da Cruz: 
Presidente: Vocês receberão uma cruz, para que, ao leva-la nas reuniões de grupos de vivencias, ao deixa-la na casa das famílias membras do grupo possa demonstrar o compromisso assumido por vocês, quando Jesus disse: “quem quiser ser meu discípulo toma sua cruz e vem comigo”.

Oremos: Deus todo poderoso, que pela cruz e ressurreição do vosso Filho deste á vida ao vosso povo, conceda que esse vossos filhos e filhas, assumindo o seguindo dos passos de Cristo, conservem em sua vida a graça da vitória da Cruz e a manifestem por palavras e gestos. Por Cristo, nosso Senhor! Todos: Amém

(asperge as cruzes e os coordenadores com agua benta)

Preces:
Leitor 1 - Jesus ensinou claramente a respeito da cruz, a cruz é um monumento na fé cristã, ela se levanta como um alto monte para que todos possam enxergá-la.
Jesus falou claramente que Ele deveria morrer numa cruz, o que causou escândalo para seus discípulos “Longe de ti Senhor” disse Pedro. Logo após censurar com palavras fortes, contudo adequadas, Jesus se voltou para a multidão e para seus discípulos e disse que eles também deveriam carregar a sua própria cruz. Rezemos:

Todos- Ensina-nos a carregar nossa cruz

Leitor 2- Nós vivemos em um tempo próspero e temos a imagem da cruz redentora de Cristo muito clara em nossas mentes, mas temos nos esquecido da cruz que nós devemos carregar. A cruz a ser carregada é para todos os que querem seguir a Cristo. Rezemos:

Todos- Ensina-nos a carregar nossa cruz

Leitor 3- Para uns é mais leve e limitam-se apenas à humilhação verbal, ao isolamento por parte dos amigos, perseguições leves, se comparadas com aqueles que são mortos por conta da fé. Cada um tem uma cruz pra carregar, tem um eu para negar. Se você quer seguir a Cristo mas não quer negar-se a si mesmo e tomar a sua cruz diariamente você não está seguindo a Cristo. Rezemos:

Todos- Ensina-nos a carregar nossa cruz

Outras do próprio grupo

Missa segue como o rito
Se for celebração segue como o rito da celebração com diácono ou ministro.


Comentários