Padre Marcelo Miquelim fala de sua experiência missionária vivida na Amazônia

19 09 2016
2

Deixei tudo: terra, família, trabalho etc, para doar minha vida ao serviço de Deus, como missionário na Igreja Irmã em Rondônia, local onde faltam muitos padres...

Padre Marcelo Miquelin Nasceu em 26 de setembro de 1977 em Apucarana, sua Paróquia de origem é a Cristo Profeta; de fevereiro de 1997 até dezembro de 2000 estudou como seminarista diocesano graduando-se em filosofia no IFA – Instituto Filosófico de Apucarana, e Teologia no Seminário Papa Paulo VI em Londrina no ano de 2003, em maio de 2004 foi Ordenado diácono e Presbítero em março de 2005.
As funções que exerceu na diocese foram: Pároco da Paróquia Santo Antonio de Pádua de Flórida
Vigário Paroquial da Paróquia Sagrado Coração de Jesus de Lobato,
Administrador Paroquial da Paróquia São João Batista de Ângulo,
Reitor do Seminário Menor São José de Apucarana e no dia 08 de março de 2013 se tornou Missionário no Projeto Igreja Irmã Nossa Senhora do Perpetuo Socorro da Cidade de Corumbiara – RO e concedeu uma entrevista sobre essa experiência vivida até os dias de hoje. Confira.

D.A- Como o senhor foi escolhido para esta missão?

Padre Marcelo Miquelin: Eu estava como reitor do Seminário Menor de Apucarana e previsto para ir estudar fora, Dom Celso me chamou em particular dia 11 de fevereiro de 2013 para conversar e disse que pensava em me enviar para Corumbiara-RO trabalhar na missão, já havia convidado vários outros padres antes que não haviam aceitado e precisava de alguém para dar continuidade no projeto da Igreja Irmã. Eu aceitei o convite, mesmo não conhecendo nada da missão e que estava disponível para o que precisasse. Ele me deu um abraço muito feliz e agradeceu por ter aceitado. Assim em março de 2013 cheguei a Corumbiara-RO.

Quais os principais desafios que o senhor enfrentou ou enfrenta na Igreja Irmã?

Ser padre aqui na missão é tranqüilo pra mim, o povo é acolhedor, o calor já to acostumado e apesar da distancia da família e dos amigos, como também as aventuras nas estradas rurais quando vou nas comunidades, não vejo dificuldades.

O que mais lhe chamou atenção até aqui neste período de missão?

Corumbiara-RO é marcada por grandes latifúndios e pelo massacre dos sem terra há 20 anos. Muitas pessoas que nunca vieram aqui pensa que só existe floresta, bichos no mato e índio, mas faz tempo que esta paisagem foi substituída pela agricultura e a pastagem; quando vejo algum pedacinho de mato restante está sendo derrubada, os rios sem mata ciliar e fumaça das queimadas fico com coração partido. Também o clima é bem diferente do sul, o calor durante o ano todo e existe de maio até outubro (tempo da seca) praticamente sem chuva nenhuma e o restante do ano quando chove direto (tempo das águas). Rondônia é o estado mais evangélico do Brasil, muitos municípios não tem padres e graças aos leigos que existem muitas comunidades caminham.

O que o senhor espera com a realização desta missão?

Dar minha contribuição para “Igreja da Amazônia”, colaborando na pastoral e no crescimento espiritual e material desta comunidade. Estamos no final de uma missão iniciada em 2008, (Projeto Igreja Irmã: Diocese de Apucarana – Diocese de Guajara Mirim) onde estiveram antes de mim Pe. Jeferson da Matta, Pe. Adriano, Pe.Vanderlei Amorim e Diácono Celso da Silva e também contribuíram atendendo o povo, celebrando os sacramentos, dando formação e cuidando da estrutura física da Igreja.

O que o senhor tem há dizer para aqueles que desejam ser missionários?

O povo de Corumbiara-RO é muito grato por tudo que recebeu de nossa diocese. Não tenham medo de ser missionários, nem sejam acomodados nas estruturas, encastelando-se em nossa paróquias ou movimentos/pastorais, que enfraquece nosso vigor evangélico. Sejam leigos ou religiosos todos deveram dar contribuição na missão, que não pode ser só de padres; veja o que diz Jesus na Parábola dos Talentos... Todos são bem vindos aqui neste ultimo ano de missão.

Considerações finais

Gosto de ser padre: com meu jeito alegre, organizando os lugares onde passo, celebrando com fé e devoção a missa, dando a bênção a todos e ensinando e aprendendo com povo de Deus. Ajudar o povo a fazer uma experiência com Deus através dos sacramentos, pregar a Palavra de Deus, dar formação, organizar a pastoral, ser presença nos momentos de alegria e de tristeza na vida da comunidade, colaborar na construção material da paróquia e ser uma referência na comunidade, ou seja, sinal de Deus num mundo. Pelo apoio dos padres e leigos que ligam ou mandam mensagem perguntando como estou muito me fortalece pra não sentir sozinho, muito obrigado!

#dioceseonline 


2 Comentários

Ademir, Irani e família, Paróquia São João Batista de Ângulo

25/10/2016
Saudades Pe. Marcelo !!! Que Deus te abençoe sempre, com teu jeito cativante, alegre e envolvente. Abraços e nossas orações...

Nilda de Oliveira Soyza

31/10/2016
Meus agradecimentos ao Padre Miquelin. Jovem ainda é com muito talento. Tive a oportunidade de visitar a Paróquia que preside. Realmente desenvolve um lindo trabalho frente àquela comunidade. Pude perceber o quanto é querido pela igreja. Parabéns Padre.que o bom Deus fortaleça seu Ministério Sacerdotal. Abraços!??????