Palavra do Bispo

GRATIDÃO AOS LEIGOS E LEIGAS

19 08 2021


Como bons dispensadores das diversas graças de Deus, cada um de vós ponha à disposição dos outros o dom que recebeu: a Palavra, para anunciar as mensagens de Deus; um ministério, para exercê-lo com uma força Divina, a fim de que em todas as coisas Deus seja glorificado por Jesus Cristo” (1Ped 4, 10-11).


São leigos os cristãos batizados e incorporados à Igreja, Corpo Místico de Cristo. Todo fiel batizado forma o povo de Deus e são participantes na missão da Igreja presente no mundo. Neste mês vocacional, a Igreja celebra também o essencial e importante protagonismo do cristão leigo, ou seja, a vocação, a missão e a doação de todo fiel, que traz em si dons e carismas particulares, que devem ser colocados à serviço da Igreja de Cristo. A vocação leiga é algo intrínseco à vontade pessoal, pois, pelos Sacramentos do Batismo e da Confirmação, todos recebem a marca indelével do Espírito Santo que os tornam filhos e filhas marcados com o sinal eterno de pertença ao Cristo. O Laicato cristão nasce do chamado de Deus e da resposta pessoal de cada um, que, ao fazer sua adesão, é capacitado pelo Espírito Santo para dar frutos. O cristão leigo unido ao Ministro Consagrado edifica o Corpo de Cristo que é a Igreja, todos são ramos da Videira unidos à Cabeça, que é Cristo. Não há quem não tenha um dom a ser repartido e posto em prática, assim como não há maiores ou menores diante de Deus. A área de atuação do leigo é a realidade do mundo à sua volta, é um sair de si mesmo, para testemunhar, com coragem e ardor, o amor de Cristo e os valores do Evangelho, seja na família, no trabalho, no local onde mora e na vida em comunidade. A vocação do leigo é graça Divina, não um mérito pessoal, e mais que isso, é um carinho do Pai que vê e sabe o que cada um tem a oferecer e partilhar para que outros O conheçam e, conhecendo-O, sintam em si mesmos o desejo de exercer, cada um em sua medida, sua vocação própria, para o bem de si mesmo e do próximo. O leigo é o povo no meio do povo, é sal que dá gosto e luz que mostra o caminho do Mestre. Onde está o leigo em nossa Igreja? Está presente em meio à comunidade, nas pastorais, nas associações diversas, nos trabalhos voluntários dentro e fora da Igreja, escondido nos bastidores para que as coisas aconteçam.  O leigo se faz presença discreta e atuante em todos os lugares onde exerce sua fé e dá testemunho de sua pertença a Deus. Os cristãos leigos estão na linha mais avançada da Igreja, pois têm consciência clara de não somente pertencerem à Igreja, mas de serem Igreja, de formarem uma grande comunidade de fieis, unidos ao Papa e aos Bispos, formando comunhão, vivendo em unidade e semeando a Palavra. O leigo engajado na vida paroquial torna-se o olhar e a voz do Sacerdote onde este não pode chegar e, mais ainda, torna presente o próprio Jesus e Sua mensagem de amor aos que ainda não O conhecem. Para além das paredes do Templo, o leigo faz conhecer a beleza da Igreja de Cristo, seja pelas palavras ou pelas atitudes. Muitos, ao se depararem com um leigo comprometido em sua caminhada de fé, dizem: ‘ele (a) é da Igreja’. Isso denota a importância da vocação leiga num mundo paganizado.  Ser atuante e comprometido tem sido um grande desafio nos tempos atuais, pois, refletir o rosto de Cristo e de sua Igreja, exige perseverança, fé, dedicação constante e também um abdicar-se de certas realidades mundanas, para viver essencialmente o mandado de Cristo de “anunciar a toda criatura o amor e a verdade de Deus”. Esses predicados necessários são supridos aos que se dedicam com amor e afinco, coragem e determinação, pelo Espírito Santo, que encaminha os corações disponíveis. Nossa Diocese forma uma grande e abençoada família, com suas Paróquias, Comunidades e Diaconias, onde incontáveis leigos e leigas, anônimos ou não, se dedicam, com perseverança e plenos do desejo de servir com amor e atenção, se doando diariamente na vivência vocacional, permitindo assim que toda a Família Diocesana permaneça unida no amor de Cristo. Na doação de si mesmo, o leigo se fortalece no amor e na misericórdia do Pai. Nossa eterna gratidão aos leigos e leigas que fazem acontecer a Igreja de Cristo na Diocese de Apucarana.

 

Dom Carlos José de Oliveira
Bispo da Diocese de Apucarana