O SENHOR NOS ENVIOU PARA EVANGELIZAR

01 Out 2012

 Cheios de confiança no Senhor e com maior entusiasmo anunciemos sem temor a Palavra de Deus (Cf. Fl1, 14).  Apucarana, 01 de outubro de 2012

Inseridos num clima de festa por ocasião dos 50 anos do Concílio Vaticano II, 20 anos do Catecismo da Igreja, 50 anos de nossa Diocese de Apucarana e no limiar do Ano da Fé, quero refletir com vocês, amados irmãos e irmãs, esse assunto sempre novo: a dimensão missionária da Igreja.

Tornados membros da Igreja pelo batismo, como também pela Crisma e Eucaristia, todos somos chamados a Evangelizar. A Igreja existe para evangelizar. E como membros desta Igreja, identificamo-nos com ela através de nosso agir missionário. Não tem como escapar. Ou somos missionários, ou não somos membros da Igreja.

No dia em que Nosso Senhor Jesus Cristo subiu aos céus, convocou os seus Apóstolos para que fossem pelo mundo inteiro e anunciassem o Evangelho a toda a humanidade. E como fruto deste anúncio, que todos os ouvintes se tornassem seus discípulos. Esta é a missão da Igreja que vai se realizando a cada dia “mediante a atividade pela qual, obedecendo ao mandamento de Cristo e movida pela graça e pela caridade do Espírito Santo, ela se torna atual e plenamente presente a todos os homens ou povos para conduzi-los à fé, liberdade e paz de Cristo, não só pelo exemplo de vida e pela pregação mas também pelos sacramentos e pelos restantes meios da graça, de tal forma que lhes fique bem aberto um caminho livre e seguro para participarem plenamente no mistério de Cristo” (AG 5).

Sendo o mês de outubro um tempo oportuno para nos motivarmos a sermos discípulos missionários de Cristo, trabalhemos seriamente esta dimensão da Igreja e de nosso ser católico para que mais e mais nos tornemos o que fomos chamados a ser, pois se não nos comprometermos com o processo evangelizador da Igreja, estamos impedindo que o Evangelho seja mais propagado e que, consequentemente, muitas pessoas não tenham acesso ao anúncio da Boa Nova e, portanto, não alcancem a salvação.

Não nos enganemos, há um povo numeroso que ainda desconhece a Cristo, e, consequentemente, não tem fé. Daí a urgência de nossa ação missionária para que estes nossos irmãos que estão à margem da salvação, se aproximem de Jesus e com ele se comprometam e assim o Reino de Deus se estenda ao mundo inteiro como anunciou Jesus aos seus apóstolos no dia da sua ascensão.

Anunciar o Evangelho é, então, uma missão que toca a todos nós. Onde quer que nos encontremos ali devemos nos portar como verdadeiros apóstolos de Cristo, como seus discípulos missionários. E como tais, possamos favorecer o caminho para que muitos irmãos possam fazer a feliz experiência de encontro com Jesus e sejam salvos. Vivendo profundamente a vida cristã, que nosso testemunho seja um contributo eficaz para a difusão da fé, mesmo que estejamos num mundo aonde o ateísmo vai cada vez mais se alargando.

Além de nossa ação missionária que deve ser realizada a cada dia em nosso ambiente de trabalho, de estudo e onde quer que estejamos, precisamos também lembrar a nossa responsabilidade em relação às dioceses necessitadas de nossa ajuda. E aqui vale o destaque à nossa Igreja irmã que está em Gabara Mirim, paróquia de Corumbiara, onde já contamos com o trabalho do Pe. Jeferson, do Pe. Adriano, do Diác. Celso, e agora do Pe. Vanderlei Amorim e logo mais com o nosso seminarista Cleyton Larangeiras, que após sua ordenação diaconal, também se dirigirá a Corumbiara para sua experiência missionária.

Conscientes de que Deus é quem faz com que o seu reino venha ao mundo, pedimos à Virgem Santíssima, nossa Senhora Aparecida, que esteja sempre à frente de nossa atividade missionária para que mais eficazmente o anúncio do evangelho chegue a todos os povos. E também rezemos pedindo ao Senhor que nos envie mais operários para a Igreja, pois a Igreja está grande e poucos são os presbíteros para atendê-la.

 

Dom Celso Antônio Marchiori

Bispo de Apucarana