JESUS ESTÁ PRESENTE NO MEIO DE NÓS ATRAVÉS DOS SACRAMENTOS A CONFIRMAÇÃO

10 Mar 2013

 

SEGUNDO O CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA

 

“... vós sereis batizados no Espírito Santo daqui há poucos dias... mas descerá sobre vós o Espírito Santo e vos dará força; e sereis minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria e até os confins do mundo” (At  1, 5. 8).

 

 Continuando o pensamento catequético sobre a presença contínua e operante de Cristo entre nós, refletiremos, agora, sobre o valor do Sacramento da Crisma ou Confirmação.

     A recepção desse sacramento é necessária à consumação da graça batismal, pois nos vincula mais perfeitamente à Igreja e nos motiva à fé testemunhal que, como discípulos de Cristo, difundimos e defendemos por palavras e por obras.

    Toda a vida de Jesus, assim como toda a sua missão, realizam-se em uma comunhão total com o mesmo Espírito, que o Pai lhe dá "sem medida" (Jo 3,34). Essa plenitude do Espírito passa a ser uma experiência de todos os discípulos de Jesus. Sua promessa aos apóstolos, de que seriam cheios do Espírito Santo, foi realizada, primeiramente, no dia da Páscoa, e, em seguida, de maneira mais marcante, no dia de Pentecostes. Repletos do Espírito Santo, os Apóstolos começam a proclamar "as maravilhas de Deus" (At 2,11), e Pedro declara que esta efusão do Espírito é o sinal dos tempos messiânicos. Nessa ocasião, os que acreditaram na Palavra de Deus, receberam o batismo e o dom do Espírito Santo.

   Desde então, cumprindo o mandato de Jesus e pela imposição das mãos, os apóstolos foram comunicando o dom do Espírito àqueles que, mediante suas pregações, aderiam a Cristo, recebiam o Batismo e se tornavam seus discípulos. “A imposição das mãos é, com razão, reconhecida pela tradição católica, como a origem do sacramento da Confirmação, que perpetua, de certo modo, na Igreja, a graça de Pentecostes".

    Bem cedo, para melhor significar o dom do Espírito Santo, acrescentou-se à imposição das mãos, uma unção com óleo perfumado (crisma). Esta unção ilustra o nome de "cristão", que significa "ungido", e sua origem deriva do próprio nome de Cristo, ele que "Deus ungiu com o Espírito Santo" (At 10,38).

   O efeito do sacramento da Confirmação é a efusão especial do Espírito Santo, da mesma forma como aconteceu aos apóstolos, no dia de Pentecostes. A partir daí, o cristão segue seu caminho, crescendo na graça batismal: enraíza-se mais profundamente na graça da filiação divina; une-se mais solidamente a Cristo; sente crescer em seu interior os dons do Espírito Santo; torna-se mais perfeitamente vinculado à Igreja e experimenta uma força especial do Espírito Santo, para difundir e defender a fé, pela palavra e pelo testemunho, confessando com firmeza e convicção o nome de Cristo, carregando alegremente a cruz diária.

  A Confirmação, recebida somente uma vez, imprime em nossa alma uma marca espiritual indelével, o "caráter", representando que Jesus Cristo nos assinalou com o seu Espírito e nos revestiu da força do alto, para sermos suas testemunhas e para melhor assumirmos as responsabilidades apostólicas da vida cristã.

  Podemos dizer, então, que a Crisma é o sacramento que nos impulsiona a viver do jeito que Jesus viveu, a amar como Jesus, a servir como Jesus. E que ser crismado é ser apaixonado por Jesus Cristo e pela sua Igreja; é viver com entusiasmo os valores do Evangelho.

 

           

Dom Celso A. Marchiori

Bispo de Apucarana